sexta-feira, 30 de abril de 2010

Biodigestores: produtores confirmam benefícios no Piauí



Realizado dia 24 de abril na propriedade do agricultor Alberto Mendes de Carvalho, um dos três beneficiados com os biodigestores na cidade piauiense de Batalha, o "Dia de Campo" do Projeto Energia do Produtor, uma parceria da CARE Brasil, Sebrae e UPS, reuniu um número expressivo de agricultores, produtores de caprinos e ovinos, técnicos e representantes de várias instituições que atuam com ações para o homem do campo, como o Banco do Nordeste do Brasil e a Embrapa Meio-Norte.

O encontro, que contou com o apoio da Prefeitura de Batalha e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Batalha, serviu para a equipe técnica da CARE Brasil demonstrar a viabilidade econômica e socioambiental dos biodigestores, que transformam esterco de animais em biogás e biofertilizante.

Além da palestra sobre a utilização de biogás, biofertilizante e manejo de biodigestores em propriedades familiares, o veterinário e funcionário do Programa Piauí da CARE Brasil, Anísio Neto (foto à direita), fez uma demonstração do funcionamento do biodigestor instalado na comunidade Carpina 2.

Muito empolgado por receber vizinhos, amigos e muitos curiosos em sua propriedade, o agricultor Alberto Mendes de Carvalho (foto abaixo) não conseguia esconder a satisfação de ver as pessoas perguntando sobre os benefícios gerados pelo biodigestor. "A refeição que será servida para os participantes do Dia de Campo foi feita hoje no fogão movido a gás do nosso biodigestor. Eu chamei as pessoas para verem as panelas fazendo a comida no fogão porque elas sempre me perguntavam se o gás usado na cozinha era realmente do tanque do biodigestor", disse, revelando ainda que usará o biogás para fazer funcionar um motor que gera energia elétrica, além do uso dos biofertilizantes nas lavouras de melancia e banana que pretende fazer futuramente.

Francisco das Chagas Oliveira, da comunidade Baixa do Cedro, também foi um dos contemplados com um biodigestor em Batalha. "Já estou economizando R$ 40 por mês desde que comecei a usar o gás do biodigestor. Em um ano, só com o biogás usado no fogão, eu vou conseguir economizar quase 500 reais, um valor que vou aplicar na melhoria da minha propriedade. Para mim, foi um desafio porque era o início de um projeto desconhecido na nossa região, mas mesmo assim eu apostei e hoje não me arrependo nem um pouco de ter feito isso", citou o agricultor, que passa uma hora por dia no trabalho de colocação de esterco de caprinos no biodigestor e usa os biofertilizantes no adubamento de sua horta.

Projeto Energia do Produtor


O projeto, que teve suas atividades iniciadas em 2009 no Norte do Piauí, implantou cinco biodigestores em três cidades: Batalha, Pedro II e São João do Arraial. Edivaldo Pereira Chaves, presidente do assentamento Paraíso, em Pedro II, comentou sobre a utilização do biodigestor no primeiro assentamento piauiense formado por jovens técnicos agrícolas. "O biodigestor abastece duas famílias com o biogás, que é usado nos fogões. Nosso objetivo é gerar biogás para as 13 casas do assentamento, além de energia para uma forrageira que produz alimentos para os nossos rebanhos de caprinos, aves e suínos, reduzindo os custos da nossa minifábrica de ração", comentou.

Prestigiando o evento que contou com a presença de caravanas de várias comunidades do município, de jovens estudantes da Escola Família Agrícola Cocais, em São João do Arraial, e de produtores de leite e pesquisadores da cidade de Parnaíba, o prefeito de Batalha, Amaro Melo (na foto, em pé, o primeiro da dir. p/ esq.), manifestou seu apoio à iniciativa de geração de energia renovável do projeto.

"Um dos maiores desafios em todo o mundo atualmente é a busca urgente de fontes de energia alternativa e renovável. Esse projeto veio ajudar o homem do campo a ficar com uma menor dependência energética dos modelos tradicionais. Os três biodigestores instalados em nossa cidade já estão mostrando resultados concretos e positivos. Eles geram economia e renda para os agricultores familiares, contribuem para a imunização dos rebanhos de caprinos e ovinos contra as verminoses e preservam a biodiversidade regional", afirmou o gestor público.

Acompanhando a implantação dos biodigestores desde as primeiras palestras de apresentação do projeto para os agricultores, Anísio Neto comemorou com os agricultores os bons resultados do projeto. "Com as ações do Energia do Produtor, resgatamos a tecnologia dos biodigestores para o agricultor familiar com o objetivo de empoderá-los na sua autonomia de energia para o cozimento de seus alimentos e para o uso dos biofertilizantes na lavoura. Nós estaremos utilizando, posteriormente, o biogás em motores para o funcionamento de irrigação, avicultura e outras atividades, e para a geração de energia elétrica nas propriedades. O homem do campo está sendo empoderado de um recurso natural que ele já dispõe, que é o esterco dos animais, com o intuito de tornar o agricultor independente e sua unidade produtiva sustentável, economicamente viável e ambientalmente correta", afirma Anísio.

O projeto Energia do Produtor é realizado em parceria com o Sebrae e com recursos da UPS. O modelo de biodigestor implantado em Batalha produz seis metros cúbicos de biogás diariamente, o suficiente para fazer funcionar um fogão, uma geladeira e ainda ligar um gerador de energia por algumas horas.

Se você tem interesse em saber mais sobre esse projeto, escreva para comunicacao@br.care.org.

Matéria publicada em 27/04/10. FOTOS tiradas no Piauí - divulgação CARE Brasil.

Um comentário:

Gutenberg disse...

Caros colegas,

É com imensa satisfação que escrevo-lhes, pois estou contente pelo projeto de biodigestores está sendo um sucesso. Estou pretendendo implantar a idéia, no entanto, como eu poderia ter detalhes do funcionamento? Vocês poderiam me enviar alguma informação a mais?

Grato,

Gutenberg